Descanso do Trabalho - Van Gogh

domingo, 28 de novembro de 2010

sábado, 27 de novembro de 2010

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Rebolando...



o gato fica em cima do muro,
a gata só quer miar, não tá
querendo namorar...




[madá.]



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Ciranda... Mania




1)MANIA...

[madá]

era poeta; gostava
de noite estrelada,
lua enfeitando céu.

************************

2)MANIA...

[lílian maial]


era poeta:
dormia com palavras
acordava vozes

************************
3)MANIA...

[kathleen lessa]

sentava-se ao relento,
caçava estrelas cadentes...
pedidos no aniversário.

************************
4) Mania...

[Mardilê Friedrich Fabre]

Moldava as frases
com palavras de argila.
Lapidava o poema.

***********************
5) MANIA

[Regina Lyra]

Na mania atravesso a estrada.
Chego rápido,
encontro você.

***********************
6)Mania

[Marília]

De olhar a lua no céu.
Seus cabelos, reflexos de luz,
experiência de vida.

***********************
7 ) Mania

[Sandra Mamede (SSA)]

Brincava com as letras
formava as palavras
surge o poema
***********************
8) Mania
[Sandra MaMEDE (SSA)]

Olho-me no espelho
desconheço-me
pois vejo você.

*********************
9) MANIA

[Eliana Mora]

de flauta doce:
plantava sonhos,
colhia - sons.

*******************
10)Mania

[Rosa Pena]

De devaneios e magias
Porque entre eles...
Sempre está você.

*******************
11)Mania

[Jandeilson]

Desdo e teclas
sonhos se fazem
num simples poetrix.

**********************
12)Mania

[ydeo oga]

ah, poeta...
sonhas com palavras
acordas num poema!

**********************
13) Mania

[Mardilê Friedrich Fabre]

Cantarolar versos
no palco da madrugada.
Surpreender estrelas.

***********************
14)MANIA

[Zéferro]

Só tenho esta mania
Cantar com todas as notas
Tu és a minha poesia

***********************
15)Mania

[Guto]

Lavei essa mão (SUJA! SUJA!)
E lavando saiu sujeira (E SANGUE! SANGUE!)
Tenho Outra Canção?

*******************
16) MANIAS

[lílian maial]

lavar as mãos dez vezes
de trancar a casa cinco vezes
de beijar tua boca pra sempre

********************
17)Mania

[Marília]

De você.
Teu cheiro doce
ainda exala pela sala


**********************

18) MANIA DE VESTIR

[Regina Lyra]

Na clareira da floresta
vi coberta de flores
o corpo nu da natureza



*******************
19)MANIA

[sidnei Olivio]

ter sempre às mãos
um lampião (reverso da solidão)
nas noites de tempestade

********************
20) ANSIEDADE

[Ricardo Mainieri]

Coleciono lembranças
reorganizo sentimentos
compulsivamente me rendo...

*************************
21)INVENTÁRIO

[kathleen lessa]

Cataloguei teus beijos,
Do primeiro ao último.
Mania de guardar momentos.


**************************
22)MANIA DE VATE

[Oswaldo Martins]

Nós a temos todo dia:
Mania de ser profeta...
Ela muito nos afeta!

**************************
23) MANIA DE VOCÊ

[Regina Lyra]

Neste momento de manias
ouço: calo arrepio.
Curto momento travesso.

**************************

24)TRANSMISSÃO

[Kate Weiss]

Dedos ágeis,
alma falando.
Mania de poetar.

***************************
25)Manias

[Rosa Pena]

deixar a luz acesa
a porta aberta
esperar seu regresso


domingo, 21 de novembro de 2010

Realidade...

não gosto das minhas horas tristes,
elas trazem de volta meus fantasmas,
os sem luzes e sem nomes...


[madá.]


sábado, 20 de novembro de 2010

Colocação...

sou feliz no meu cantinho,
tenho a noite, tenho o dia,
meu mundinho.


[madá.]


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Uma noite de tango...






Vestiu-se exagerada
e o coração imaginou,
encenou; empolgou...

Sentiu-se a mais bela,
mais desejada, amada;
delírios, glamour...



[Madá.]

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Enredamento...




Noite enovelada, pensamentos
atados em tênues fios à alma.

Finjo dormir... Nos olhos, no peito,
emoções estancadas, paradas...





[madá.]

terça-feira, 16 de novembro de 2010

O pássaro que tinha as asas douradas...



morava no alto do campanário, o
homem passava, a criança brincava,
e ele cantava...




[madá.]


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Intenso...



pensa nele todo dia e os
olhos ficam rasos d'águas
e de saudade...





[madá.]




domingo, 14 de novembro de 2010

Divertimento


há um tempo que eu ando
sem tempo, querendo um
tempo pra mim...



[madá.]



sábado, 13 de novembro de 2010

Metamorfose...



Tentava ser borboleta; pequenos vôos,
distâncias curtas, amando as flores do
caminho...




[madá.]


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Mania...


era poeta; gostava
de noite estrelada,
lua enfeitando céu.



[madá.]


quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Extremidades...



.


Quem sou eu de verdade, às
minhas vozes, vivo a perguntar...

Num dia, sou alegria, no outro, só
saudade e ambas a me dominar...





[madá.]



quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Peso, Pesado...



tem sempre um que vai,
dois que ficam; a balança
pende, aflita...



[madá.]




terça-feira, 9 de novembro de 2010

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Agradecimento...


Hoje é um dia especial, um dia de alegria... Meu aniversário!
Em primeiro lugar quero agradecer a Deus pela Sua presença em todos os momentos da minha vida e oportunidade que me em aqui viver nessa existência...
Aos meus pais, louvores sempre, ampararam-me nos braços e nos primeiros passos, educaram-me, ensinando-me a ser quem hoje eu sou. .. Cumpriram a missão deles com méritos.
Aos meus filhos, motivo da minha coragem e perseverança, orgulho e alegrias minhas...
Ao João, irmão de sangue e alma, anjo em minha vida, poeta, estrela de primeira grandeza, força motriz dos meus caminhos de lutas.
Aos amigos dessa telinha amada que me incentivam diariamente com suas palavras e aplausos de amizade.
De muitos, lembranças que jamais irei apagar da memória...
Poetas e formatadores como Sonia Orsiolli que me presenteou, em um dia como esse de aniversário, com um bonito site...
www. cartasquenuncachegaram
Webston Moura com o blog ''Lírios de Magdala'', http://liriosdemagdala.blogspot.com/
Aos dois, reconhecimento e gratidão.
Não poderia também esquecer dos formatadores como Sonia Pallone, Lucia Trigueiro, Stella Marques, Alex Duarte, Jazinha Cerqueira (deu-me as primeiras noções de formatação), Denise Moura, Rosymari Silva Santos, Silvana Sabóia e outros mais...
Ao Aarão J. Barbosa, grande alma que silenciosamente sempre esteve nos bastidores cercando-me de extremos cuidados e afeto, desejando o melhor do seu coração...
Orlando Caetano, ombro amigo das minhas horas indecisas e inseguras, poeta querido de Portugal, gentilmente sempre me dando apoio e paz; declamando meus versos com muito estilo e propriedade...
Também ao Marcos Sérgio que já me brindou declamando com a sua bonita voz alguns dos meus poemas.
Amigos e poetas que fazem parte do meu dia a dia em grupos aos quais pertenço, também em outros por onde já passei; encravados estão, jóias que são de alto quilate, nomeados em letras garrafais e douradas em meu coração.
Agradecimentos a tantos outros que divulgam e aplaudem meu trabalho, em especial ao Gilberto, grande e nobre amigo da Net.
Vera Rossi, Silvana Cervantes e tantos outros amigos que me acolhem com delicadeza divulgando meu trabalho em sites, blogs e grupos....
E se eu estiver esquecendo de algum nome querido, que me perdoem, a emoção é grande, a fragilidade da memória nesse momento também...
Recebam todos o meu carinhoso abraço de afeto e gratidão, rogo aos céus que os abençoem e protejam...
Paz e luz!
Obrigada sempre... [madá.]



domingo, 7 de novembro de 2010

Ela...





tem malícia no andar,
sensualidade no olhar,
ai, ai, ai...


[madá.]


sábado, 6 de novembro de 2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

E se eu tivesse que ser anjo...



Se eu tivesse que ser anjo...
Maria Madalena Ferreira dos Santos



Se eu tivesse que ser anjo não ia querer ter aquelas asas enormes,
parecem pesadas demais, difíceis de carregar...
E quando tivesse que voar?
Sei não....
Seria um Deus acuda, teria que ter sempre um ventinho a mais,
sou pesadinha demais...
Adeus chocolatinhos, docinhos e outros quesitos
mais...
Desculpa, não dá, dispenso a minha querência...
Nada de céu e asa pesada, só
'anjo de andar'...




e as flores compareceram...



airosas e cheirosas,
vistosas e pomposas,
no dia do luto, adeus.

[madá.]

Flor amorosa...



se tinha lua no céu,
punha saudade no peito,
proseava com ela.

[madá.]





Entre as brumas do passado...













De cima a baixo,
Fendas, oferendas,
No encalço...



[madá.]



Mudança...

















vivia presa ao passado,
mudou de endereço,
perdeu-se dele...





[madá.]






Artesã




poeta, pintava os
versos só de azul,
nunca de outra cor.





[madá.]




Implicações...


tocava fundo nas
fímbrias daquela
alma; anjo...




[madá.]

Dúvida...




dizia, certeza...
nunca, quem sabe, talvez:
não entendi.




[madá.]




Contingências...



Passa o tempo e passam os ventos,
correm os rios para o mar, saem as
pedras do lugar e eu aqui a esperar.




[madá.]


Obstinação...




''Pensei ter dito, repetido que jamais deixaria de te querer, não atenderia
a tal pedido... Esquecesse o querer, não tinha jeito,
não podia ser..."



[madá.]

Ah, se as flores não amassem as borboletas...




Se as flores não amassem as borboletas,
de paixão morreriam as
pobrezinhas.



[madá.]


Vestimenta

Acabou a paixão e nem
pude chorar; não tinha
vestido de luto pra usar.

[madá.]

Pássaro liberto...




do tempo que me tens,
vejo-te sempre entreluz,
paz de ti emana... Luz!

[madá.]

O beijo...



a paixão já 'estava' no ar;
não teve jeito, aconteceu:
o luar entendeu...



[madá.]

Em noite de luar...


O gato caminhava displicentemente pela sombra da noite....

De vez em quando dava uma paradinha para dar uma piscadela para a lua,
um 'charminho' pra ela.

O cão ladrava ferozmente, enciumado, talvez...

Não era livre como o gato, vivia preso dia e noite...

Os portões eram altos, o mundo era visto através das grades, costumes do modernismo.
A coleira sufocava...




[madá.]




Amigo...




Amigo é alegria
Sol e manhã
Semente divina
Amor e gratidão
Proteção!



[madá.]


Maria, mãe




Diante da cruz ajoelhou,
do filho que tanto amou;
chorou...





[madá.]



A santa




Falava sempre com Maria,
e por ela era ouvida...
atendida!



[madá.]


História de amor...

Era mais uma linda história de
amor...
Olhos nos olhos, mãos dadas, sonhos e comemorações...
E, quando tudo acabou, não jogou fora as
recordações, tudo guardou,
em fundo de baú...



[madá.]

Meu menino

marinheiro, marinheiro,
já nos mares lá do sul,
e a mando de Jesus.




[madá.]



Solilóquio




tão quieto agora, se
ao menos passasse
a hora...



[madá.]



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...